Eu, um mosaico e uma Quitanda

Existe um livro capaz de numa discussão, fundamentar a posição de pelo menos cinco sábios de opiniões diametralmente opostas. Chama-se Bíblia.

Como consequência temos inúmeras teologias resultantes. Todas bonitinhas! Com corinhos e versículos decorados por crianças desde cedo formatadas.

O interessante, é que assim como numa quitanda, cada um pega aquilo que mais lhe apetece. Pendemos a aceitar a vertente que menos nos incomoda. “Aparamos as arestas do evangelho até que se molde a nós” Paulo Brabo. Um dos critérios para a escolha é o nível de responsabilidade que esta ou aquela opção vai me exigir.

Existem leituras deste livro para aqueles que gostam de filmes de ação! Com superpoderes! Bolas de fogo! Guerras aqui e ali! Baixas inevitáveis de combate! Golpes!

Existe a leitura da Disney. Com bosques que brilham anoite! Histórias de monstros! Vilões e mocinho com tudo que Narnia possa mais oferecer –e eu adoro Narnia!-

Existe a leitura dos canalhas. Que em tudo o que de mal fazem, têm o respaldo de “serem fracos humanos, e por isso tentados pelo diabo”. Esses são os que entram no motel por “sujeira do Astuto”.-sim. Sitei a sua história seu safado sem-vergonha-.

Uma outra muito confortável é a dos preguiçosos. -Ah! Essa eu adoro as vezes haha!- Nessa, se você não passa num vestibular ou numa entrevista, jamais é por que não está no nível mínimo aceitável. Mas sempre porque Deus sabe o que faz! “Imagina, ela é uma menina de ouro! Claro que Deus que não quis! Isso poupa-nos de lidar com derrotas. Porém cria “adolescentes perpétuos” que por não saberem se reconstruir baseando-se no exemplo vivo de Jesus Cristo de Nazaré, entram em depressão.

A minha posição? Eu, por não ser dono da razão, nem prepotente a ponto de achar que vou para o céu e outros não, fico com o “abaixar das armas”. Fico com uma vida responsável pelos meus atos. Fico com a responsabilidade de tentar chegar o mais perto da vida que Deus sonhou que eu tivesse. Vendo Deus não como um ventríloquo, mas como uma mãe que espera seu filho de uma balada. Rezando para que ele esteja pondo em prática o que ela ensinou. Meu Deus torce por mim!

Quanto aos sábios, se tivessem a grandeza de se quebrantarem, com os cacos fariam o mosaico mais belo ja visto. Pois seria da face real de Javé.

Use seu Facebook ou ID Google, poste aqui o que você pensa. É importante...



11 comentários:

  1. PQP, muito bom. Certeiro, meu bróder. Bela produção. Inspiradora.

    Abs.

    ResponderExcluir
  2. Will, meu irmão... me ajude a aguentar a bucha agora hahahaha juntos, sempre.

    ResponderExcluir
  3. eu amei esse texto de um jeito inexplicável. Ainda quero sentar e conversar com vc colega

    ResponderExcluir
  4. Camicase. rs
    Gostei muito do texto.
    Seu ponto de vista é raro.
    Cada vez mais existem estes com mania de querer moldar o evangelho pra si mesmo. Eu mesma já fiz isso. Principalmente a preguiça,rs
    Estou aprendendo a "abaixar as armas"
    Que mais textos camicases como estes surjam em sua cabeçinha.

    Beijo grande!
    abraço apertado.

    Lys.

    ResponderExcluir
  5. Soraia: Vamos a uma padaria então...

    Lys: Não se incomode por ja ter feito. Se envergonhe apenas das coisas que tem certeza. Elas sim são perigosas. Essas te levam inevitavelmente à insensibilidade...

    ResponderExcluir
  6. Peço que se possível comentem no próprio blog. Isso encoraja os outros que estão chegando.
    Aqui é o lacal para isso, não fora. Deixem os e-mails e mensagens para coisas muito pessoais nossas (minha com cada um). obrigado.

    ResponderExcluir
  7. É Minoru, você acaba de tocar num ponto que suuper me atrai, porque como estudante de teologia é inevitável que esse post não me chame a atenção. Li e reli o texto, ele fala de verdades que nem sempre são tão bem aceitáveis. Eu já admirava você, mas com esse post de hoje passei a admirar ainda mais, você é ousado, e muito,rs, parabéns.
    Minha contribuição pessoal é que acredito que enquanto não "entendermos" realmente quem é Deus através de Jesus de Nazaré, o seu amor e sua graça, continuaremos secos e vazios e não faremos qualquer diferença nesse mundo.
    Gostei muito de uma citação feita por Philip Yancey em seu livro Maravilhosa Graça que dizia: "O mundo pode fazer quase tudo tão bem ou melhor do que a igreja. Você não precisa ser cristão para construir casas,alimentar os famintos ou curar os enfermos.Há apenas uma coisa que o mundo não pode fazer. Ele não pode oferecer graça".(Gordon MacDonald)
    Acredito nisso, e acho que é na direção da teologia da graça, se é que assim poderia dizer, que deveríamos estar caminhando.
    Abração.

    ResponderExcluir
  8. Discernimento é uma palavra que te define bem neste texto. Parabéns!

    ResponderExcluir
  9. Liliklis: aguarde por "rabiscando"...

    Luas: Valeu cara, muito obrigado por entrar aqui! volte sempre!

    ResponderExcluir
  10. Zica... Bom demais mano

    ResponderExcluir
  11. Inexplicável o que senti....ok, posso até tentar, mas acho que as palavras não seriam suficientes!
    Se a humanidade caminhasse não para a perfeição, mas para a simples arte de viver e sonhar, tudo seria muito diferente!
    É ter a noção de que viver é muito mais do que tentar ser perfeito e apontar o dedo na cara do outro pra dizer que ele está errado!
    O que é certo? O que é errado? Será que não é muito mais subjetivo do que imaginamos?

    PS: Não conseguia passar aqui já fazia um tempo, mas tenho que te contar....a música Casa da vó me fez chorar! Tanto pq a minha mora em outra cidade e eu não a vejo tanto quanto eu gostaria! aliás, acabei de voltar do colinho dela...

    ResponderExcluir