Casa da vó

video

Ela é Lusitana, tem fiospretos e brancos na cabeça. Não resiste a um bom sorvete. Na verdade não resiste a nada. Por muitos anos bordou meu nome nas minhas cuecas. Nas cuecas, nas blusas, nas meias, camiseta, toalhas, gorros e tudo mais onde uma agulha entrasse. Tem um prazer tão estranho quanto inquestionável em tomar remédios todas as manhãs. É Corinthiana e usa aparelhos para audição. As vezes quando fico muito tempo brincando e fazendo piadas, ou quando insistentemente fico perguntando coisas sobre o mundo ela desliga esses aparelhos. Ai a conversa acaba e ela parece descansar. Pizzas sempre de alcachofras. Lombadas não existem quando ela dirige. Ela também leva chocolates para o quarto que eu sei. Bebida? Sempre tônica com limão.

Ele é nipônico. Fala bem em público. Sabe muito sobre tudo. Estrelas, mapas, histórias, culturas, receitas e como converter medidas em geral em qualquer coisa. É São Paulino, e porque é assim eu também sou. Às quartas sempre assistimos de cueca aos jogos na sala de televisão. Só nós dois. Os dois Minorus. Tenho prazer em ser com ele, e sei que um dia vou sentir muita falta de hoje anoite.

Ele é diferenciado. Elegante. Teria muito gosto em comer sashimi comigo algum dia. E eu vou aprender a comer. Rápido. Gosto de muitas coisas nessa vida, mas nada me enche mais os olhos de lágrimas, do que o orgulho de saber que eu carrego em mim, Teu nome: Minoru.

Essa será minha homenagem: escrever uma história digna e com valores que gerem sempre mais vida. Dizer a verdade e não aceitar dinheiro sujo. Ser elegante e buscar sempre uma vida honrosa como todo leal Samurai Bushido.

Amém.

Use seu Facebook ou ID Google, poste aqui o que você pensa. É importante...



12 comentários:

  1. Pessoa admirável, que sabe dar valor às coisas que com certeza passam desapercebidas pela maioria das pessoas, essas coisas que sim, trazem felicidade. Emocionante, pra não dizer que me fez chorar!!

    ResponderExcluir
  2. Nada mais honroso do que reconhecer o valor de pessoas que inegavelmente marcam nossas vidas para sempre. Linda homenagem!
    Fico com uma certa inveja quando ouço histórias de avôs e avós, e explico: não me lembro de experiências vividas com meus avós, foram embora muito cedo, e o meu avô paterno que viveu mais,bem, não me era próximo, acontece,rs.
    Se os anos me permitirem,espero que eu seja uma boa vovó,rsrs.

    ResponderExcluir
  3. Lais: Você não imagina como eu chorei também escrevendo isso... Muito obrigado.

    Liliklis: Te conhecendo o pouco que eu te conheço, acho que existem muitas chances de você ser uma avó acima da média..

    ResponderExcluir
  4. Que presente nesse domingo :)

    ahh os avós!
    é como olhar num espelho, e ver atras de nós nossos antepassados, no fim somos todos partes da mesma história.

    Lindo. Lindo. Lindo !

    ResponderExcluir
  5. Nossa este texto me fez lembrar de todos os momentos maravilhosos com os meus avós.
    Era bom quando minha vó ia viajar e me dixava com o meu vô, ele fazia arroz papa com tomates e bacon, tudo q ele não podia comer.
    Ele me esquecia na escola as vezes, mas o bom era q ele se lembrava depois de umas 2 horas quando ouvia o telefone tocar, era da escola.
    Gostava tbm quando eu fazia arte minha vó brigava comigo, e eu corria pro colo dele, ele sempre dizia " o veia pra q brigar com a menina ". Tenho mta saudade dele.
    Minha vó, sempre alegre e vaidosa, gosta de darçar o Vira, isso é bem divertido.
    Ela briga comigo quando estou mal arrumada, principalmente quando vamos sair juntas.
    Ela gosta de se enfeitar e de usar oculos escuros. Linda minha vó.
    Amo, Amo minha vó.
    Seu texto me fez chorar mto, saudade do meu vô, não qro perder minha vó nunca.

    O que me deixa mto chateada é q ainda tem pessoas que dizem não gostar dessas duas pessoas lindas Vó e Vô.

    Bjus.

    ResponderExcluir
  6. Muito legal. Sabia que sua avó tinha uma queda por alguma guloseima. Ainda não comi sashimi com seu avô, mas uma vez ele preparou um queijo catupiri com alhos fritos.....com pão... e vinho...como diz um amigo meu: "excelente".

    ResponderExcluir
  7. Liz: Valeu !que bom que soou como um presente.

    Ednéa: Sua vó deve parecer com a minha!

    Evandro: Tenho certeza que meu avô vai gostar de saber que voce lembra disso... contarei para ele hoje mesmo.

    ResponderExcluir
  8. Muito boa a musica... linda a letra e o violão tbm... pq teria gostado mesmo se não tivesse ninguem cantando... passa tranquilidade... e foi ótimo depois de um dia bem agitado...

    O texto, sem palavras... admiro... me fez sentir saudades... e me fez ver como sou sortuda por te-los todos vivos... uma vó que divido com mais de 20 primos (familia grande), que contava historias de lobisomem, rs, que trocava o nome de todo mundo mas que sempre lembrava de fazer "o bolo da Flavia"... outra que eu e minha irmã somos tudo na vida dela... um vó que parece mais um general mas que a imagem da cara dele de orgulho de quando me mudei pra campinas e agora aqui, estao gravadas na minha memória... outro que chora quando me ve pela internet... me fez lembrar que tenho postais pra enviar a eles e que estao ateh hj na minha gaveta... me fez sentir culpada por não demonstrar todo o carinho que eu sinto por eles... não que eu não demonstre, mas não faz jus... mto por eles morarem longe de casa e mto mais por mim... pelo meu jeito de ser... então achei ótimo ler isso... e parei pra pensar... e confesso que msm se eu soubesse tocar violão, escrever um musica e msm podendo escrever textos e mais textos como meus avós são incriveis... acho que não teria feito isso... então parabens... admiro mto...

    outra coisa... vc tem alguma musica com piano? msm gostando de violão e msm eles nao gostando mto de mim... piano eh sempre piano...

    ResponderExcluir
  9. Flavia: Te peço que envie esses postais o mais rápido possível. Explicarei num próximo post. Mas por favor, o faça.

    ResponderExcluir
  10. Linda homenagem.
    Tenho o grande privilégio de ter meus avós todos por perto.
    Tenho uma avó lusitana e um avô lusitano também. Sem falar no meu pai.
    Não tenho tanta proximidade com eles como gostaria, mas tenho por outro lado, uma avó sempre presente.
    Um presente de Deus pra mim. E olha que não mereço nem um pouco, mas são assim mesmo os ávos,
    As guloseimas, os biscoitinhos que me fazem sempre lembrar as visitas da vovó lusitana.
    Ou os bordados que aprendi com o lado nordestino da história.
    Que bom ter momentos como estes pra lembrar.

    Muito bom.

    ResponderExcluir
  11. Lys: Muito legal! não são todas as pessoas que podem aproveitar disso mesmo... vc ja experimentou dizer a eles tudo isso?

    ResponderExcluir
  12. Enfim! Consegui ver...rs
    Sei que sou previlegiada por isso,
    Digo sempre que os vejo.
    Nem tudo que gostaria de dizer, mas...
    A minha vovó lusitana fez ontem 78 anos, ela ficou dizendo que seria o seu último aniversário. Vê se pode?! Eu disse que ela ainda vai viver muito, uns 150 no mínimo!

    minhas avós compartilham muitas histórias comigo, quem sabe não divulge elas no meu blog...

    No dia do meu aniversário: 26 de julho também é o dia da avó, quem sabe seja esse um motivo para essa ligação...

    Quando estou "sufocada" , sem saber o que fazer... corro pra casa da vovó. Um abraço apertado, um colo de almofada, um bolo bem gostoso. E tudo fica mais leve como num passe de mágica.
    Demais!

    Beijo.

    ResponderExcluir