Duas lágrimas e um baixo acústico



Quando chego lá, danço por dentro.
Se choro, o silêncio é gris.
Quando toco não basto em mim mesmo, e ainda em alegoria
verto lágrimas gentis.

Quando em rodas danço por dentro.
Se choro, verto verso salgado.
Quando toco, ainda que tropo. Me acaricia Deus com um baixo molhado.

Som é silhueta
A saudade é cereja
Avó é pijama
Baixo é acústico.
Um pequeno hotel em São Bento, hedonismo rústico.

Som é chave
Saudade é privilégio
Mãe é doce de leite.
O que tenho é minha música por favor aceite.

Quando minha casa está cheia danço por dentro.
Se choro...
Se choro danço por dentro.
Pois quem chora acompanhado não chora. Compõe.
Escreve e dança.

Use seu Facebook ou ID Google, poste aqui o que você pensa. É importante...



10 comentários:

  1. Me alimentei por hoje...obrigada!

    ResponderExcluir
  2. Deixe-me compor contigo! Qual o seu compromisso pro fds?!?!

    ResponderExcluir
  3. os trocadilhos... ao chico!
    isso foi lindo!

    ResponderExcluir
  4. Fiquei um tempo, sem tempo, pra viver, e pra passar em minorulandia (faculdade consome)...
    Confesso que estava com saudade!
    como é bom ter acesso a tão deliciosa literatura!
    obrigada pelos lindos versos!
    beijoss.

    ResponderExcluir
  5. Muito obrigado, muito obrigado muito obrigado!

    ResponderExcluir
  6. bravo.
    que lindo.
    estou emocionada.
    bj

    ResponderExcluir
  7. como sempre voce me alegra!
    muito lindo!

    ResponderExcluir
  8. "Se choro danço por dentro.

    Pois quem chora acompanhado não chora. Compõe.

    Escreve e dança."

    Lindo!

    Menino-poeta-musico...poeta-músico-menino é sempre muito bom passar por aqui (ainda que raramente o consiga) e quase impossível ñ comentar...rs

    Abraços!

    =)

    ResponderExcluir