Sim, Sexo.



Hoje me permitirei. Peço apenas que ao ler esse texto esteja aberto para reconhecer se acaso houver aqui algo de verdadeiro ainda que do tamanho de um grão de mostarda. Diria até um post camicase.

Nas mais diferentes matizes do pensamento cristão um assunto mal explicado sempre passou desconfortável. Sexo. Não que seja aceitável essa deficiência -longe disso-, mas até aí entendo justificável por razões históricas. Toda essa infantilidade, “dedos”, “desinstrução” e inexperiência de líderes pudicos não vem de nenhuma herança da bíblia hebraica, nenhuma tradição dos apóstolos e muito menos de alguma fala de Jesus. Todo esse pessimismo sexual que milita contra o prazer sensorial demonizando a experiência tátil, vem da influência de pensadores estoicos e gnósticos sobre os cristãos dos quatro primeiros séculos.

Por conseguinte uma geração “bomba relógio” foi parida.

Pela superficialidade e sentimento de pejo por parte dos que deveriam “pastorear”, a minha geração ainda tem um nível de instrução que inibe até a simples pronuncia da palavra pênis. –muito mais ridículo que isso são os risos e entreolhares. Não. Mais ainda são os pastores que fingem ser descolados e forjam pregações “esclarecedoras”-.

Mulheres já formadas não se conhecem, “meninos granada” não podem assistir filmes com cenas de nudez sem se excitarem e o pior, jovens casados não se sentem à vontade para transar nem após o bendito casamento! Que também já vem acontecendo cada vez mais por ansiedade e não por amor!

A falta da luz então, deposita sobre a Abstinência uma pseudo-segurança.

Acredito eu que o que não me cabe é a imoralidade e a promiscuidade. O desrespeito com o outro. O uso do outro. A desvalorização minha e nossa. A falta de Amor com o momento. Ser respeitoso, honesto, honroso e digno não tem nada a ver com uma data. Por isso é mais fácil aceita-la do que mudar a postura. Obedecer a cartilha te polpa da responsabilidade inerente à assustadora liberdade do evangelho.

Platonizo esse como o mais magico dos momentos. Quando dois se despem por dentro. Quando se desaparece o redor.

Quando se personifica o Amor da maneira mais humana possível, e porque é assim torna-se celeste e divino. Assim como um dia um Deus divino e celeste se fez homem, por Amor.

Use seu Facebook ou ID Google, poste aqui o que você pensa. É importante...



18 comentários:

  1. Os tabus precisam ser quebrados, mais isso não vai acontecer enquanto o respeito não se sobressair.....

    ResponderExcluir
  2. Concordo plenamente com você Mi, sexo é um ato de amor, momento sublime, de completa entrega.. não deve ser visto como ato pecaminoso e escondido que muitos púdicos pregam, nem ser banalizado e desrespeitado como muitos o fazem hoje..é uma entrega completa, divina, e um assunto que deve ser explorado e não fingir que o desejo não existe..

    ResponderExcluir
  3. Juliana M. Vissechi10 de março de 2011 20:01

    É impressionante como o corpo foi censurado. As pessoas vêm sexo como demonstração animalesca, e não como a "flexão" do verbo amar. O amor não deve ser contido. E é através do sexo, algumas vezes, que ele é demonstrado. É exatamente como você disse: o uso do outro é inaceitável. Mas, quando se trata de amar alguém, por que censurar? Por que tornar esse ato promíscuo? É uma necessidade do ser humano como qualquer outra, só que, diferente dos outros animais(já que o homem adora equiparar-se a eles),ele tem um significado. Pior ainda quando dizem que deve ser proibido mesmo porque está vulgarizado demais, que as pessoas só fazem por fazer, que tem todo um significado por trás e blá blá blá. Quer dizer então que duas pessoas que se amam e querem fazer sexo, só porque não são casadas, o bendito do ato não terá um significado? Aah, por favor. Enfim.. é isso. :) Gostei do texto. Concordo com você! Acho que você se conteve um pouco... Mas é aquela coisa, quando se trata de assuntos delicados, deve-se ser delicado. :D Parabéns!

    ResponderExcluir
  4. Sexo, envolve os melhores e piores sentimentos, nao sejamos moralistas e hipócritas, eu gosto vc gosta, dificl é alguem que nao goste..que seu corpo mostre conscientemente o que sua alma sente, sem preconceitos ou regras de igrejas..que seja por vontade propria, que seja por amor..que tenha como base o Respeito.Que voce fale o que realmente sente e nao o que vem a cabeça pois,o que voce diz, é o que é ouvido e guardado, entao seja honesto consigo e será com o outro.Assim despertará só os melhores sentimentos.

    ResponderExcluir
  5. Concordo com você, e também acredito que a falta de equilíbrio em vários assuntos, incluindo o sexo, faz com que nossos líderes escolham a proibição ao invés da explicação. Há uma outra problemática também: muitos não buscam a informação e preferem continuar divulgando aquilo que já foi passado para eles, de geração à geração. Mudanças implicam em desconforto,e, convenhamos, que desconforto é o que a maioria não busca e não quer. Desejo que Deus abra os olhos dos nossos líderes e da nossa geração, tão perdida e, em sua maioria, como ovelhas sem pastor.

    ResponderExcluir
  6. Boa provocação...Um assunto amplo e denso dentro da igreja...

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. Deus criou o sexo ñ somente para a procriação, mas para que os homems e mulheres experimentem todo o praser e intimidade que só uma relação sexual proporciona.Mtos casais que freqüentam as igrejas estão frustrados, com mtas duvidas e ignorantes sobre a arte de proporcionar e extrair prazer do amor.O sexo deveria ser visto como algo além de prazeroso saudavél.

    Bjinhos Priscylla

    ResponderExcluir
  9. Na mosca! Muito obrigada, você arrumou o que eu pensava, colocou em palvras. Não tenho religião, mas adorei sua visão cristã do assunto.

    ResponderExcluir
  10. Nada como cutucar a ferida de uma geração para mostrar a ela que ainda a sentidos nela. Boa temática, polemico como você kkkkkkk!

    ResponderExcluir
  11. Sou levado a citar o Dr. Johnson:

    "(...) É impossivel não escrever muito pouco para uns e demais para outros. Somente por sua própria experiência é que ele (o expositor) pode julgar aquilo que é necessário; e, por mais que faça deliberações, acabara por explicar muitas passagens que o erudito achará impossível que se compreendam mal e por omitir muitas outras exlicações para as quais o inculto desejaria sua ajuda. Estas são cenruras meramente relativas, que devem ser toleradas com tranquilidade"

    Minorulandia = Uma opcional leitura obrigatória.

    ResponderExcluir
  12. Na verdade acredito que somos todos hipócritas, em determinado assunto, sempre o somos, porém a realidade relata que teremos que deixar de lado todos os nossos pré conceitos, para que possamos tratar da maneira correta ( a de Jesus) todas a formas de expressão. Dentre elas o amor, por meio do sexo, ou por meio de um simples olhar. Mas que seja dito!

    ResponderExcluir
  13. Na verdade acredito que somos todos hipócritas, em determinado assunto, sempre o somos, porém a realidade relata que teremos que deixar de lado todos os nossos pré conceitos, para que possamos tratar da maneira correta ( a de Jesus) todas a formas de expressão. Dentre elas o amor, por meio do sexo, ou por meio de um simples olhar. Mas que seja dito!

    ResponderExcluir
  14. Nossa instituição Igreja nos faz muito observado pelo prisma da comunhão e celebração, mas nos faz tão mal no prisma de nos engessar e impedir-nos de evoluir.
    Usam paradigmas sem observar o motivo original da proposta.
    Paradigma no original filosófico era considerado fluência ou fluxo de um pensamento, o que se consegue através de vários pensamentos de um mesmo assunto para se concluir uma idéia.

    O contraponto é que não se permite a "fluência" das idéias ou opniões a respeito de um assunto, e dão nome erroneamente de conservação de paradigmas.

    Jesus foi incrível no Sermão do Monte, iguala a todos independentemente do peso das práticas, veja se não é assim:
    "Qualquer um que olhar uma mulher desejando-a se prostituiu com ela".
    vejam, Cristo diz aqui que o problema está antes do que executar o ato do sexo, se o fizer em pensamento caracteriza por si só um pecado.
    Quantos hipócritas não temos hj esbravejando nos púlpitos e ao invés de agradar suas esposas, vão se masturbar, qual gral de pecado enquadramos?

    Concordo que nossos jovens são bombas a explodir, ...o proibido sempre instiga maior curiosidade, somado ao despreparo temos catástrofe.

    Que Deus nos ajude a quebrar ou propor paradigmas mais saudáveis.

    ResponderExcluir
  15. OI MINORO! VC NÃO ME CONHECE E EU TB NÃO TE CONHEÇO! MAS OSTARIA DE DEIXAR AQUI IMPRESSO MINHA ADMIRAÇÃO PELOS SEUS TEXTOS!!! ELES SÃO SIMPLESMENTE OTIMOS!!! O SEU JEITO DE ESCREVER É MUITO LEGAL!!! PARABENSSSS

    ResponderExcluir
  16. O sexo nunca deixará de ser tabu entre os cristãos enquanto eles não deixarem de ser cristãos. Sinto muito.

    ResponderExcluir
  17. Uma discussão a respeito de sexo sob esta perspectiva tem como primeira limitante a simples concepção pessoal do que seja o ato sexual, ou seja, do que para cada um quer dizer o "uma só carne". Esta interpretação é fundamental para a construção de uma opinião a respeito do "esperar" ou não.
    Meu entendimento a respeito disso, longe de ser uma opinião implantada em minha cabeça por pregadores mal informados, irracionais e retrógrados, é de que o ato sexual é mais profundo do que popularmente se pode pensar. Desunir um pedaço de carne é impossível, pois é UM. Ao "se despir internamente" e se unificar a outro corpo você se faz UM com ele. A bíblia pode usar linguagem poética, mas isso não diminui a força da sua mensagem, apenas a democratiza.
    O sexo é algo divino, pois foi criado como a ligação mais profunda entre duas pessoas; e não por ser belo e bom. O divino e o celeste também devem ser bem interpretados. Deus me deu uma ferramenta divina que eu posso usufruir dela de maneira mundana. Mas o mundano não como imagem do pecado, e sim mundano como o simples ser do MUNDO. Então uma ferramenta divina, pode construir coisas terrenas.
    O ESPERAR segundo esta perspectiva não tem a ver com reprimir desejos e mandar pessoas para o inferno. Tem a ver com o querer ser UM com apenas UMA pessoa. Tem a ver com usufruir da sua assustadora liberdade em Cristo até mesmo para domar seus instintos; isso não é prisão, é liberdade.
    Não é fácil domar desejos tão intensos como esse, mas Deus vem capacitando a todos que se dispõe a tentar. E todas essas pessoas não se tornam problemáticas ou taradas por isso, e sim felizes e completas. Não digo isto como a verdade absoluta, mas como outra forma de pensar a castidade, sem os preconceitos que perseguem o tradicionalismo sadio.
    O amor se demonstra com a entrega e com a valorização do outro como se fosse você, não apenas com sexo. A maior prova de amor já vista foi a vinda e morte de Cristo, sem que ele tenha transado com ninguém. O sexo é criação de Deus para o casamento como forma de prazer e é até mesmo pecado negá-lo ao seu cônjuge. O que constrói a verdadeira união entre marido e mulher não é uma festa e um par de alianças, é sim o SEXO. Eu quero ser um único e legítimo pedaço de carne de primeira, me poupando de misturas e remendos, construindo um compromisso mais sólido e puro.

    ResponderExcluir